quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O Pioneiro: Glycério de Souza Marques

(Foto:Reprodução de livro)
Clicar na foto para ampliá-la
Glycério de Souza Marques nasceu no dia 13 de maio de 1915, no Estado do Pará.

Filho do militar Raimundo Gonçalves Marques e D. Luzia de Souza Marques.
Estudou nas escolas de Belém e ingressou na Escola Militar dando baixa no ano de 1938 com a patente de 2º-tenente.
Quando jovem dedicou-se ao escotismo.
Veio para Macapá no início do ano de 1945, convidado pelo Governador Janary Gentil Nunes com a missão de implantar o escotismo no Território Federal do Amapá, juntando-se ao Chefe Escoteiro Clodoaldo Carvalho do Nascimento.
Trabalhou inicialmente como Inspetor do Ensino primário; foi também Diretor da Escola de Iniciação Agrícola da Base Aérea do Amapá; em 1953 foi nomeado Diretor da Escola Profissional Getúlio Vargas que, posteriormente, se chamou Escola Industrial; participou da criação de clubes esportivos; foi presidente da União dos Escoteiros do Brasil em Macapá; da Federação de Desportos; da Sociedade Artística de Macapá; Instrutor do Tiro de Guerra 130 do Amapá; foi postulante à construção de um estádio de futebol o qual foi construído e foi dado o seu nome Estádio Glycério de Souza Marques; foi Diretor da Rádio Difusora de Macapá.
Glycério casou-se no primeiro matrimônio com a Sra. Nely de Miranda Marques; em segundas nupciais com D. Natália dos Santos Marques com quem teve os filhos: José Glymar, Luzia e Carmem.
Glycério faleceu no dia 25 de dezembro de 1955 deixando um grande vazio no coração da juventude escoteira do Amapá e saudades a todos os desportistas.
(Fonte: Informações e foto extraídas da obra Personagens Ilustres do Amapá de Coaracy Barbosa Vol III (não impresso) - em PDF - via APES - Associação Amapaense de Escritores).

5 comentários:

  1. Ei Lásaro [longe mas sempre tão perto], o nome da primeira esposa dele era Nely de Miranda Marques e da segunda Natália Moura dos Santos; coloque, também, um link relacionado [no seu blog] daquela foto que vc "emprestou" do meu [http://porta-retrato-ap.blogspot.com/2010/05/um-casal-hospitaleiro-professores-diniz.html]. É só para ilustrar mais. Em tempo, postarei mais algo sobre o Glicerão (nome correto: Glicerio de Sousa Marques).

    ResponderExcluir
  2. Valeu Diniz,obrigado pelas observações...
    Continue mandando sugestões e contribuições.
    grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Antonio Torrinha da Silva18 de abril de 2013 11:04

    Caro amigo João Lázaro,
    Cabe informar que a data de falecimento do Professor e Inspetor Glincério de Souza Maruques posta em seu site está equivocada, pois o Jornal Amapá, publicado em 25 de janeiro de 1956, p. 10a, ANO 11, Nº 704 aponta a data 25 de dezembro de 1955 ás 14:00h, ainda na capital mineira. A descoberta foi em virtude de um estudo sobre a associação dos professores do Amapá que se encontra em andamento!!! Ademais um abraço!!professor Antonio Torrinha da Silva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio, obrigado por sua observação. Texto devidamente corrigido!grande abraço.

      Excluir
  4. Gostei de sua postagem, e informo que conheci o Sr. Glimar Marques (filho), na cidade de Belém, e ele comentou vários episódios da vida de seu pai, aqui no estado do Amapá.

    ResponderExcluir